5 armadilhas destroem a alimentação saudável, fuja delas!

Drible os erros mais comuns no uso da pirâmide alimenta

091204050115original_34_piramide

Seguir as orientações contidas na pirâmide alimentar para manter uma alimentação saudável é uma ótima iniciativa. Mas os planos para equilibrar a saúde podem ir por água abaixo (e ponteiro acima) se você não tomar cuidado na horade combinar as porções.

Para fugir dos erros comumente cometidos pelos iniciantes no método, a responsável pela equipe nutricional do Minha Vida, Roberta Stella, montou uma lista com os erros mais comuns. Veja se as dúvidas a seguir já rondaram sua cabeça na hora de montar seu prato guiado pela pirâmide e saiba como escapar dessas armadilhas, da melhor maneira.

Armadilha: Ficou difícil resistir à macarronada do almoço e você não pensou duas vezes na hora de encher o prato de carboidratos. Como não quer extrapolar as porções que tinha programado para o dia todo, resolve banir o nutriente do restante das refeições.

Dica: Faça um planejamento antecipado para não restar dúvidas sobre o número e a quantidade das porções que você precisa ingerir durante o dia. A princípio, parece um pouco trabalhoso. Mas basta fazer os cálculos no primeiro dia e seguir essa organização nos outros, usando atabela de substituições como guia , ensina a nutricionista. Se você escorregar em alguma refeição, nada de ficar rearranjando os grupos alimentares. O conselho da especialista é manter o planejamento como se o deslize não tivesse acontecido. Tentar consertar o erro pode gerar confusão e fazer com que nutrientes importantes para o organismo não sejam ingeridos na quantidade adequada , ressalta Roberta.

Armadilha: Seu objetivo é contar com os princípios da pirâmide alimentar para emagrecer. Por isso, você toma muito cuidado com o grupo dos cereais, pães, tubérculos e raízes, rico em carboidratos. Você dispensa algumas porções e garante o baixo valor calórico do seu cardápio.

Dica: A pirâmide nada mais é do que a representação global de um cardápio balanceado. O maior cuidado ao segui-la deve ser para que todos os grupos alimentares estejam presentes na alimentação na quantidade mínima , alerta Roberta. Ou seja, se a quantidade indicada. Isso diminui a possibilidade de excessos na alimentação, já que você não chega faminto à próxima refeição.

Armadilha: Como você não tem o costume de comer à noite, prefere agrupar as porções que deveriam compor o jantar com as do almoço. Afinal, o que vale é a soma final das porções dos grupos alimentares indicadas pela pirâmide.

Dica: A pirâmide alimentar estimula o bom hábito à mesa. Portanto, não é recomendado concentrar os grupos alimentares em poucas refeições , explica Roberta. O conselho da nutricionista do Minha Vida é optar por alimentos de fácil digestão e que façam parte da sua rotina alimentar.

Se você não está acostumado a jantar, substitua os alimentos típicos dessa refeição por outros que podem montar um lanche. Troque o arroz por pão, a carne por um embutido e assim por diante. Mas é importante seguir as porções de cada grupo , diz. Para acertar nos mandamentos da pirâmide, fuja da monotonia

Armadilha: Definitivamente, você não é fã das hortaliças e elas não fazem falta nenhuma no seu cardápio. Por isso, você nem se preocupa com as porções deste grupo alimentar. O melhor a fazer é riscá-las do menu e ingerir as calorias referentes a essas porções com outros grupos.

Dica: Deixar algum grupo alimentar de lado, segundo Roberta, não prejudica o andamento da pirâmide. Mas o propósito de criação dela é justamente oferecer uma alimentação rica em todos os nutrientes. Excluir os legumes, por exemplo, terá como conseqüência a carência de minerais e vitaminas, fundamentais para o corpo. Também é importante lembrar que nenhum grupo substitui outro. A conclusão é que deixar de ingerir legumes para aumentar a quantidade de porções das frutas não é atitude acertada. Uma alimentação adequada requer variedade alimentar decorrente da ingestão de alimentos pertencentes a todos os grupos alimentares.

 

25 DE OUTUBRO DIA DO MACARRÃO! Segue abaixo um pouco de sua história e uma receita deliciosa.

maca

Origem macarrão:

O macarrão começou a ser feito logo que o homem descobriu que era capaz de moer os cereais, misturar com água e obter uma pasta cozida ou assada. As primeiras massas surgiram nas civilizações assíria e babilônica, por volta de 2500 a.C., e tratavam-se de misturas cozidas de cereais e água. Algo mais próximo do nosso macarrão surgiu em Jerusalém, no século V. Em rituais judaicos, os hebreus comiam uma espécie de farinha cozida em água, conhecida como Itriyah.
A versão mais aceita é que foram os árabes os pais do macarrão, tendo levado o produto à Sicília no Século IX. Pelo fato de a região ter se transformado em um importante centro comercial da época, os navegadores transportavam o produto para importantes portos do Mediterrâneo, difundindo o macarrão em várias regiões, inclusive na Itália.

Posteriormente se chega à maior contribuição do macarrão: a italiana. Os italianos inventaram mais de 500 variedades de tipos e formatos de massa, incorporando também ao macarrão, a farinha de grano duro.

RECEITA:
Ingredientes:
1 vidro de ostras defumadas
400 g de macarrão pappardelle
50 ml(1 taça) de champagne ou espumante brut
1 cebola média ralada
3 dentes de alho espremidos
200 g de queijo gorgonzola(ou roquefort)
1 caixa de creme de leite
salsinha, dill, noz-moscada, pimenta e sal a gosto
azeite de oliva para a hora de servir
*reserve algumas ostras para enfeitar, se desejar.

Modo de Preparo:
Cozinhe o pappardelle.
Enquanto isso, prepare o molho. Em uma panela doure a cebola e o alho em 4 colheres(sopa) do óleo das ostras defumadas. Adicione o espumante e deixe reduzir um pouco. Acrescente o creme de leite, o queijo gorgonzola e as ostras. Tempere, deixando a salsinha e dill para finalizar.
Misture o macarrão a este molho para que a massa absorva o sabor do molho, mexa bem delicadamente para não quebrar o pappardelle, e sirva em porções individuais.

Referencia: http://www.historiadetudo.com/macarrao.html